domingo 19 de setembro de 2021
Foto: Reprodução
Home / Mundo / MUNDO / Sete profissionais de saúde são indiciados por homicídio após morte de Diego Maradona
sexta-feira 21 de maio de 2021 às 10:30h

Sete profissionais de saúde são indiciados por homicídio após morte de Diego Maradona

MUNDO, NOTÍCIAS


Sete pessoas foram indiciadas por homicídio com dolo eventual pela morte de Diego Maradona e intimadas a prestar esclarecimentos à Justiça na próxima semana. A informação foi revelada por fontes da procuradoria da cidade de San Isidro, em Buenos Aires, à agência de notícias EFE. Também foi solicitado ao juiz de garantias do caso, Orlando Díaz, que proíba os acusados de deixarem o país.

O grupo é composto por profissionais de saúde que atenderam o ídolo do futebol antes da morte, aos 60 anos. São eles: os enfermeiros Ricardo Omar Almirón e Dahiana Gisela Madrid; o coordenador da enfermaria Mariano Perroni; a médica que coordenou a internação domiciliar Nancy Forlini; o psicólogo Carlos Ángel Díaz; a psiquiatra Agustina Cosachov; e o neurocirurgião Leopoldo Luque, médico pessoal de Maradona. A pena varia de 8 a 25 anos de prisão.

Em abril, a junta médica que tenta esclarecer o caso divulgou um documento de 70 páginas no qual aponta que o trabalho da equipe foi “inadequado, deficiente e temerário” e que os profissionais deixaram “o estado de saúde do paciente ao acaso”.

Em relação às horas que antecederam a morte de Maradona, o relatório aponta que “os sinais de risco de vida apresentados pelo paciente foram ignorados”. Além disso, o relatório garante que Diego começou a morrer “12 horas antes das 12h30 do dia 25 de novembro de 2020, ou seja, apresentava sinais inequívocos de período agonizante prolongado”, levando à conclusão de que “o doente não foi devidamente controlado desde as 12h30 do dia 25 de novembro de 2020”.

A autópsia determinou que a causa da morte do ex-jogador foi um “edema agudo de pulmão secundário a insuficiência cardíaca crônica exacerbada”. A autópsia também mostrou que o ex-jogador sofria de graves condições no coração, fígado e rins. Foi descartada a hipótese de que Maradona tenha consumido álcool ou drogas antes de sua morte.

Veja também

Presidente do PSDB na Bahia sugere para o governador “replicar” redução de ICMS da gasolina adotada por Eduardo Leite

Presidente do PSDB no estado, o deputado federal Adolfo Viana (PSDB) citou a redução do …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!