segunda-feira 24 de junho de 2024
O Tribunal Internacional de Justiça começa a ouvir o caso África do Sul v. Israel em Haia - Foto: ONU News
Home / JUSTIÇA / Espanha adverte Israel de que medidas cautelares da Corte de Haia são ‘obrigatórias’
sábado 25 de maio de 2024 às 17:35h

Espanha adverte Israel de que medidas cautelares da Corte de Haia são ‘obrigatórias’

JUSTIÇA, MUNDO, NOTÍCIAS


A Espanha advertiu Israel neste sábado de que as medidas cautelares emitidas pela Corte Internacional de Justiça (CIJ), a Corte de Haia, são “obrigatórias”. O país exigiu seu cumprimento por parte do governo israelense, e a Ministra da Defesa espanhola se referiu aos eventos em Gaza como “um verdadeiro genocídio”.

“As medidas cautelares da CIJ, incluindo a cessação da ofensiva israelense em Rafah, são obrigatórias. Exigimos sua aplicação”, escreveu José Manuel Albares, ministro das Relações Exteriores do governo de Pedro Sánchez, na rede social X. ”Também o cessar-fogo, a libertação de reféns e o acesso humanitário. O sofrimento dos habitantes de Gaza e a violência precisam acabar”, acrescentou.

Por sua vez, a ministra da Defesa, Margarita Robles, descreveu a ofensiva israelense em Gaza como um “verdadeiro genocídio”, em uma entrevista na televisão pública TVE para o Dia das Forças Armadas.

— Não podemos esquecer que pessoas estão morrendo na Ucrânia, é uma guerra tremenda, nem podemos ignorar o que está acontecendo em Gaza, que é um verdadeiro genocídio — disse.

Em resposta a uma solicitação da África do Sul, o principal tribunal da Organiação das Nações Unidas (ONU) ordenou na sexta-feira que Israel interrompa sua operação em Rafah e qualquer outra ação que cause a “destruição física, total ou parcial” do povo palestino em Gaza.

O tribunal, cujas decisões são obrigatórias mesmo que não tenha meios de implementá-las, também pediu ao movimento islâmico Hamas que libertasse imediatamente todos os reféns tomados em seu ataque a Israel em 7 de outubro. No entanto, Israel bombardeou a região de Rafah neste sábado.

Os juízes da corte citaram a “desastrosa” situação humanitária no enclave, afirmando que a ofensiva israelense e quaisquer atos que possam causar a destruição total ou parcial dos palestinos devem cessar.

A Espanha é um dos países europeus mais críticos em relação a Israel desde o início do atual conflito em Gaza. O governo israelense de Benjamin Netanyahu convocou nesta semana seu embaixador em Madri para consultas sobre o reconhecimento do Estado palestino por parte do governo espanhol, que Sánchez anunciou que entrar em vigor no próximo dia 28

No mais recente atrito diplomático, Israel anunciou na sexta-feira sua decisão de “cortar a conexão entre a representação diplomática da Espanha em Israel e os palestinos”, após um comentário considerado “antissemita” pela número três do governo espanhol, Yolanda Díaz.

Veja também

Pesquisadores ouvem comunidades sobre avanço da água salgada no São Francisco

Agentes da Embrapa promoveram, na última quarta-feira (19), em Brejo Grande, Sergipe, uma reunião para …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!