segunda-feira 17 de junho de 2024
A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro (PL) e o presidente Lula da Silva (PT) — Foto: Fotos de Cristiano Mariz/O Globo e Evaristo Sá/AFP
Home / DESTAQUE / Por que as pesquisas que mostram Michelle bem colocada contra Lula não animam Bolsonaro
terça-feira 14 de maio de 2024 às 06:26h

Por que as pesquisas que mostram Michelle bem colocada contra Lula não animam Bolsonaro

DESTAQUE, ELEIÇÕES 2026, NOTÍCIAS


O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, está rindo à toa com as pesquisas eleitorais que mostram Michelle Bolsonaro muito bem colocada nas intenções de voto contra o presidente Lula da Silva (PT) em uma hipotética disputa em 2026.

No levantamento da Genial/Quaest divulgada nesta última segunda-feira (13), conforme a colunista Malu Gaspar, mostra que Michelle teria 33% dos votos e iria para um segundo turno com Lula, que teria 47%. É mais até do que o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), que aparece com 28% da preferência.

O dado é tão promissor quanto o das pesquisas internas do PL, em que Michelle aparece até empatada com o presidente da República, conforme informou a colunista Bela Megale.

A ex-primeira-dama também sai na frente quando a Quaest pergunta quem seria melhor para enfrentar Lula em 2026, caso Bolsonaro não possa concorrer. Para 28% dos entrevistados, ela é a melhor opção, contra os 24% conseguidos pelo governador de São Paulo. Considerando apenas os eleitores de Bolsonaro, a performance de Michelle é ainda melhor – 41% contra 33% de Tarcísio.

Ainda assim, nem Valdemar nem Bolsonaro querem saber de discutir uma candidatura presidencial de Michelle neste momento. O motivo: ambos ainda alimentam a esperança de que Bolsonaro, inelegível até 2030, recupere seus direitos políticos até lá. Nesse caso, obviamente, seria ele mesmo o candidato do PL e da direita contra Lula.

“As chances de ele conseguir são mínimas e quase ninguém no partido acredita que seja possível, mas Valdemar e Bolsonaro acreditam, então por ora não se fala em candidatura de Michelle ou de Tarcísio para valer”, diz um interlocutor muito próximo do ex-presidente da República.

Valdemar tem procurado os candidatos a presidência da Câmara e do Senado para condicionar segundo o jornal O Globo, o apoio do PL à disposição de encampar um projeto de lei que dê anistia a Bolsonaro e permita que ele se candidate em 2026.

As conversas ainda estão em um estágio inicial, mas o presidente do PL tem se demonstrado empolgado nos bastidores.

Esperança no STF

Outra esperança que Valdemar e Bolsonaro também alimentam é a de conseguir tirar os processos contra o ex-presidente da jurisdição do Supremo Tribunal Federal (STF) e portanto das mãos de Alexandre de Moraes. No momento há dois pedidos parados no gabinete do presidente do STF, Luís Roberto Barroso.

No entorno de Bolsonaro, essa é considerada uma possibilidade ainda mais remota do que a anistia. Mesmo assim, a esta altura, ninguém descarta nenhuma hipótese.

“A gente também já acreditou que Lula nunca mais voltaria a se candidatar e ele conseguiu, então ninguém no PL vai dizer a Bolsonaro para não continuar tentando”, diz um aliado de primeira hora do ex-presidente.

Enquanto houver alguma chance de Bolsonaro recuperar os direitos políticos, o PL vai continuar patrocinando suas andanças pelo Brasil e estimulando os seguidores do ex-presidente a acreditar que ele ainda pode voltar em 2026.

Até quando essa estratégia continua, só o próprio Bolsonaro sabe. “Só ele sabe até quando vai manter essa esperança viva. E se ele tiver que sair da briga, é ele também quem vai decidir quem assume seu lugar. Mais ninguém”, diz um integrante da cúpula do PL.

Veja também

Programas de Salvador colaboram para sucesso de atletas em competições internacionais

Seguir a carreira esportiva é uma trajetória que, além de esforço e dedicação diários, também …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!