quarta-feira 24 de abril de 2024
Luís Cláudio Lula da Silva, filho do presidente Lula — Foto: Reprodução/Redes sociais
Home / DESTAQUE / Justiça proíbe filho de Lula de se aproximar de ex-mulher após denúncia de agressões
quarta-feira 3 de abril de 2024 às 10:16h

Justiça proíbe filho de Lula de se aproximar de ex-mulher após denúncia de agressões

DESTAQUE, JUSTIÇA, NOTÍCIAS


A Justiça de São Paulo concedeu medida protetiva à médica psicanalista Natália Schincariol, que denunciou Luís Cláudio Lula da Silva (filho mais novo do presidente Lula) por violência doméstica. Pela decisão, ele deixar o apartamento onde vive com ela, mantendo distância mínima de 200 metros.

Na terça-feira (2), Natália registrou um boletim de ocorrência contra Luís Cláudio na Delegacia de Defesa da Mulher de São Paulo. O caso foi analisado, inicialmente, pela própria equipe policial. Após isso, medida protetiva foi encaminhada para à Justiça local para análise de um juiz. Diante dos fatos apresentados, a medida protetiva foi confirmada.

Luís Cláudio não pode ficar a menos de 200 metros de Natália, além de não poder frequentar os locais de trabalho, estudo e de cultos religiosos da psicanalista. Além disso, ele está proibido de entrar em contato com a ex-mulher, independente do tipo de meio usado (telefone, mensagens e redes sociais). Ficou determinado, ainda, que Luís Cláudio saia da casa onde mora com Natália, ficando permitida apenas a retirada de documentos pessoais e bens de uso pessoal.

O boletim de ocorrência registra que, entre as agressões, Luís Cláudio teria dado uma cotovelada na barriga de Natália. O documento traz relatos sobre ele “contrair doença com amante” e expor a companheira, intencionalmente.

A cotovelada, segundo relato da psicanalista, teria acontecido durante uma briga em janeiro deste ano. O motivo: ela teria se recusado a entregar o celular a ele.

Natália também registrou queixa por violência verbal, psicológica e moral, que teria colocado em risco a integridade física e mental dela. A médica contou aos investigadores que precisou se afastar do trabalho por um mês devido ao trauma causado pelas agressões, e que foi hospitalizada com crises de ansiedade. Ela disse que recebeu ameaças do ex-companheiro, e que chegou a receber ofensas como “doente mental”, “vagabunda” e “louca”.

Ainda em relato no BO, Natália Schincariol disse ter sido exposta publicamente nas redes sociais e na sociedade, inclusive com a presença do agressor com outra pessoa enquanto os dois mantinham um relacionamento. Ela relatou ter sido manipulada e ameaçada para não denunciar as agressões, sob a alegação de que o agressor é filho do presidente da República.

Filho caçula de Lula é denunciado por violência contra companheira

Veja também

Perícia em local de crime é tema de artigo publicado em Revista Científica

Cena de Crime ou um caso de hemofilia? Esse foi o questionamento de uma perícia …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Pular para a barra de ferramentas