segunda-feira 15 de julho de 2024
io, Recife, Curitiba e João Pessoa: o plano do PT para resolver impasses nas eleições em quatro capitais — Foto: Agência O Globo
Home / ELEIÇÕES 2024 / Rio, Recife, Curitiba e João Pessoa: o plano do PT para resolver impasses nas eleições em quatro capitais
sexta-feira 29 de março de 2024 às 18:59h

Rio, Recife, Curitiba e João Pessoa: o plano do PT para resolver impasses nas eleições em quatro capitais

ELEIÇÕES 2024, NOTÍCIAS


Com impasses na composição de chapas em quatro capitais, a Executiva Nacional do PT vem traçando estratégias fora dos núcleos locais para avançar em tratativas na indicação de vice em cidades estratégicas. O avanço do calendário eleitoral e o interesse em caminhar junto a candidatos que devem deixar o cargo em 2026 para participar de disputas estaduais, como no Rio de Janeiro e em Recife, nacionalizou conforme reportagem de Lauriberto Pompeu e Caio Sartori, do O Globo, sobre a discussão, enquanto dá margem para o diretório nacional ampliar decisões sobre outras capitais.

Na terça-feira (26), integrantes do diretório nacional entenderam ainda de acordo com o jornal, que o presidente Lula da Silva (PT) deverá ter participação direta nos movimentos para escolher vice nas capitais do Rio de Janeiro e de Pernambuco. O movimento, tido como difícil diante de resistências dos prefeitos Eduardo Paes (PSD), do Rio, e João Campos (PSB), de Recife, em aceitar uma composição com o PT. Além das duas capitais, o PT tem impasses em Curitiba e João Pessoa, que serão levados à Executiva Nacional depois de não chegar a um acordo no encontro desta terça-feira, em Brasília.

Paes e Campos têm proximidade com o presidente e já participaram de reuniões com ele nos últimos meses. A entrada mais incisiva de Lula nas negociações é uma aposta do partido para reivindicar as vices em duas capitais de relevância política.

No Rio, a situação é vista como mais complicada porque Paes resiste a indicar um petista. O prefeito tem demonstrado preferência por um nome mais ligado a ele, como o deputado Pedro Paulo (PSD-RJ), com a formação de uma chapa “puro-sangue”. Também mantém como plano B outros quadros do PSD e que integram a prefeitura.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, disse que a indicação do vice de Paes precisa ser uma condição para o apoio ao prefeito.

— É posição majoritária do partido — disse ao jornal O Globo.

Apesar dessa postura, é considerada quase impossível a saída da aliança do prefeito carioca para seguir outro caminho em 2024, a despeito de alguns quadros do partido, como o deputado federal Lindbergh Farias, serem abertamente contra caminhar com Paes.

Coordenador do Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) do PT, Humberto Costa convocou para a semana que vem os presidentes estadual e municipal da sigla, João Maurício de Freitas e Tiago Santana, a fim de conversar sobre a conjuntura carioca.

Filiação de Anielle

Lula, inclusive, é esperado também na semana que vem pelo PT do Rio para um ato de filiação da ministra Anielle Franco, da Igualdade Racial, ao partido. O evento deve ser no anfiteatro da Uerj. Em fevereiro, o presidente chegou a consultar correligionários sobre o nome de Anielle para o posto. No domingo passado, a Polícia Federal prendeu três suspeitos de mandar matar a irmã dela, a vereadora Marielle Franco. Um deles, o deputado federal Chiquinho Brazão (União-RJ), era secretário de Ação Comunitária de Paes até fevereiro.

Na reunião de ontem, realizada em Brasília e também com participações remotas, a cúpula nacional do PT debateu a situação das duas cidades e também de Curitiba e de João Pessoa. Apesar disso, a única deliberação formal tomada foi remeter a decisão sobre as disputas para a Executiva Nacional, grupo com menos pessoas e eleito pelo próprio diretório.

Gleisi disse ainda que as disputas em outras cidades também podem vir a ser decididas pela cúpula nacional da legenda.

Integrantes da legenda no Rio, como o deputado federal Washington Quaquá, já disseram que o cargo não deveria ser critério para o apoio. De acordo com participantes da conversa de ontem, Quaquá, que é do diretório, não fez falas durante a reunião, e todas as declarações foram no sentido de apoiar a exigência da vice.

O caso do Rio de Janeiro foi levado para a cúpula nacional do PT justamente para evitar que a direção local da legenda abrisse mão da vice de Paes muito antes da eleição. O secretário de Assuntos Federativos do Ministério da Secretaria de Relações Institucionais (SRI), André Ceciliano, é apontado como uma opção dentro do PT para o posto na chapa do prefeito carioca.

Situação em Pernambuco

A participação do presidente nessas duas cidades foi anunciada na reunião por nomes da legenda como Humberto Costa (PE), o deputado Jilmar Tatto (SP) e a secretária de Finanças do PT, Gleide Andrade.

No Recife, há uma disputa interna entre o deputado Carlos Veras e Mozart Salles, que trabalha na SRI, pela tentativa de indicação para a vice de Campos. No entanto, como o atual prefeito desfruta de amplo favoritismo na disputa, o ambiente é considerado pouco propício a cessões.

Assim como Paes, Campos é cotado para deixar o mandato no meio, caso reeleito, para concorrer ao governo estadual em 2026, o que faz o posto de vice ser cobiçado pelo PT, já que ganharia a prefeitura “de presente” daqui a dois anos. No atual mandato, a vice é Isabella de Roldão (PDT).

O partido de Lula também pretende resolver impasses em Curitiba, onde se divide entre ter candidatura própria e apoiar Luciano Ducci (PSB), e em João Pessoa, onde a sigla também avalia candidatura própria, mas uma ala quer apoiar o prefeito Cícero Lucena (PP).

Em Curitiba, Gleisi, que tem o Paraná como reduto político, deseja apoiar o candidato do PSB, mas os deputados petistas Zeca Dirceu e Carol Dartora defendem um nome do partido.

Em João Pessoa, há dúvida sobre apoiar a candidatura da deputada estadual Cida Ramos (PT) ou do atual prefeito. Lucena é aliado do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), político do Centrão com proximidade ao governo Lula.

O curto documento aprovado ontem com o encaminhamento para a Executiva recebeu 49 votos a favor e 19 contra dos integrantes do diretório nacional.

Veja também

Festival náutico movimenta turismo em Salvador e Itaparica

O II Festival Náutico Maria Felipa, em homenagem à heroína itaparicana da Independência do Brasil …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!