segunda-feira 24 de junho de 2024
Foto: Reprodução/TV
Home / DESTAQUE / Papa Francisco pede desculpas após usar termo homofóbico em reunião com bispos
terça-feira 28 de maio de 2024 às 13:51h

Papa Francisco pede desculpas após usar termo homofóbico em reunião com bispos

DESTAQUE, NOTÍCIAS


O papa Francisco pediu desculpas publicamente nesta terça-feira (28) depois de a mídia italiana divulgar que ele usou um termo preconceituoso sobre homens gays para reafirmar a proibição da Igreja Católica a padres homossexuais.

O porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, emitiu uma declaração reconhecendo que Francisco teria utilizado o termo “frociaggine”, que em português significa algo como “viadagem”, para se referir aos gays em uma conversa a portas fechadas com bispos italianos em 20 de maio.

Bruni disse que Francisco está ciente dos relatos e lembrou que o papa argentino, que fez da aproximação de católicos com LGBTQ+ uma característica marcante de seu papado, há muito tempo insiste que há “lugar para todos” na Igreja Católica.

“O papa nunca teve a intenção de ofender ou expressar-se em termos homofóbicos, e ele estende suas desculpas àqueles que foram ofendidos pelo uso de um termo que foi relatado por outros”, disse Bruni.

Entenda o caso

Nesta segunda-feira, 27, a mídia italiana citou bispos italianos anônimos como fonte para informar que Francisco, de brincadeira, usou o termo “viadagem” ao reafirmar a proibição do Vaticano sobre a entrada de homens gays em seminários e a formação deles como padres.

A proibição do Vaticano sobre padres gays foi articulada em um documento da Congregação de 2005, que tinha como intuito a promoção da Educação Católica. Mais tarde, essa proibição foi repetida em um documento de 2016, que dizia que a igreja não pode admitir em seminários ou ordenar homens que “pratiquem homossexualidade, apresentem tendências homossexuais profundamente enraizadas ou apoiem a chamada cultura gay.”

De acordo com a mídia italiana, Francisco reafirmou fortemente essa posição em sua reunião de 20 de maio com os bispos italianos, brincando que “já há um ar de viadagem” nos seminários. O italiano não é a língua materna de Francisco, e o papa argentino já cometeu gafes linguísticas no passado.

Aos 87 anos, Francisco frequentemente fala informalmente, faz piadas usando gírias e até palavrões em privado. Ele é conhecido, porém, por seu alcance aos católicos LGBTQ+, começando por seu famoso comentário “quem sou eu para julgar”, feito em 2013 sobre um padre que supostamente teve um amante no passado.

Veja também

Alckmin comemora dados de produção agroindustrial em abril

O vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB) comemorou neste último sábado (22) dados divulgados pelo Centro de …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!