segunda-feira 27 de maio de 2024
Foto: Mauro Balhessa/IstoÉ
Home / Mundo / MUNDO / Montadora chinesa adia lançamento de fábrica no Brasil e quer dobrar vendas
domingo 25 de fevereiro de 2024 às 09:50h

Montadora chinesa adia lançamento de fábrica no Brasil e quer dobrar vendas

MUNDO, NOTÍCIAS


A invasão das montadoras chinesas no Brasil deve crescer cada vez mais. E uma das companhias que vem sendo destaque por aqui conforme reportagem de Mauro Balhessa, da revista IstoÉ  e Motor Show, é a GWM. Ela estreou no ano passado no país com o lançamento do híbrido Haval H6 e depois com o elétrico Ora 03. O plano para 2024 era lançar a planta em Iracemápolis (SP) no dia 1º de maio, mas isso mudou.

“Fizemos uma viagem à China no ano passado, vimos o que tínhamos na prateleira. Temos bastante coisa dentro do planejamento, mas ocorrerá em um tempo diferente. Teve essa mudança de imposto (de importação), temos a questão do IPI Verde chegando. A fábrica está prevista para o segundo semestre. E o produto estamos terminando de fazer o molde, baseado de acordo com o ajuste que veio, de cotas, imposto (de importação) e IPI (Verde)”, explica Andre Leite, diretor das linhas Haval e Ora, durante o evento GWM Exprience Drive Days, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP).

Andre Leite, diretor das linhas Haval e Ora – Foto: Mauro Balhessa/IstoÉ

A companhia aguarda a regulamentação do programa de Mobilidade Verde, o Mover, para definir os lançamentos e prioridades. Basicamente, ele vai reduzir imposto de quem polui menos e aumentar exigências de sustentabilidade. Segundo o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, a medida seria publicada depois do Carnaval, ou seja, nos próximos dias.

Imposto de importação

Um dos pontos citados pela GWM, como visto acima, é a volta do imposto de importação.

“Quem dita preço é o mercado e o consumidor. A questão do custo é interna e está dentro do planejamento do ano. A ideia da GWM é de vir para o Brasil para ficar. E isso faz parte da construção de marca. Ė uma linha que tem um tíquete médio mais alto e consegue absorver as variações. E isso faz parte do Brasil, nem é criticando, mas ele tem essa volatilidade. Já tínhamos isso dentro do planejamento para 2024.”

A retomada do tributo está em vigor e envolve automóveis elétricos e híbridos no Brasil. O aumento das alíquotas será realizado de forma gradual, até chegar a 35% em julho de 2026.

Veja abaixo.

Híbridos

  • A alíquota do imposto começa com 15% em janeiro de 2024; 25% em julho de 2024; 30% em julho de 2025; e alcança os 35% apenas em julho de 2026.

Híbridos plug-in

  • Serão 12% em janeiro de 2024; 20% em julho de 2024; 28% em julho de 2025 e 35% em julho de 2026.

Elétricos

  • A escala é de 10% (janeiro de 2024), 18% (julho de 2024), 25% (julho de 2025) e 35% (julho de 2026).
Foto: Mauro Balhessa/IstoÉ

Vendas

A projeção da GWM é mais que dobrar os volumes neste ano. Se isso se concretizar, será algo em torno de 24 mil unidades. Em 2023, foram emplacadas 11.479 unidades – 10.703 do Haval H6 e 776 do Ora 03 – que teve apenas um mês de comercialização.

“Teremos mais meses de vendas. Conseguimos tracionar o Haval, que começou com uma venda no patamar de 1.000, 1.200 e conseguimos chegar no final do ano para mais de 2.000.”

Lançamentos

A ideia de dez lançamentos até 2025 segue viva. Mesmo sem confirmação, os primeiros modelos que devem sair da fábrica deverão ficar entre o H4 e o H6.

GWM Haval H4 – Crédito: Reprodução/Facebook

Guerra de preços

Após a vinda da BYD e GWM para o mercado de automóveis eletrificados no Brasil, as demais montadoras iniciaram uma verdadeira guerra, com cortes de preços. Para se ter uma ideia, o Renault Kwid E-Tech, que desembarcou na faixa dos R$ 150 mil, sai hoje por R$ 100 mil.

“Tem uma parte muito brigada, entre R$ 150 mil e R$ 230 mil. Aqui está uma massa, além dos elétricos, que não vai deixar de existir, mas temos que ser competitivos.”

A projeção da GWM é preencher melhor essa faixa de preços com novos produtos.

Baixa depreciação dos usados

Diferente dos concorrentes, a GWM não quer ter um produto muito barato ou praticar um desconto excessivo nos preços. O projeto para o Brasil é trabalhar a marca e valorizar o seus produtos.

Uma mostra disso é um material que divulgaram recentemente. O Haval H6 HEV, por exemplo, foi o único da sua categoria a apresentar valorização (+ 3,4%) em dezembro de 2023 sobre o valor do zero quilômetro em abril do mesmo ano, mês de lançamento da linha. 

No modelo PHEV, o Haval H6 apresentou a menor desvalorização de seu segmento (-5,3%), ante quase 21% de desvalorização de um dos seus concorrentes.

Já o modelo topo de linha GT também apresentou a menor queda em seu valor (-1,2%), enquanto os demais da categoria atingiram até 10% de desvalorização. Os números fazem parte de um estudo da KBB (Kelley Blue Book).

Veja também

Deputado Angelo Coronel Filho saúda povo do município de Irará pelo aniversário de 182 anos de emancipação

Nesta segunda-feira (27), o município de Irará festeja o aniversário de 182 anos de emancipação …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Pular para a barra de ferramentas