quinta-feira 20 de junho de 2024
Sergio Moro e Lula — Foto: Reprodução/CNN e TV 247
Home / DESTAQUE / Lula temia que Moro, absolvido pelo TSE, virasse ‘mártir’ da direita se fosse cassado
quarta-feira 22 de maio de 2024 às 13:38h

Lula temia que Moro, absolvido pelo TSE, virasse ‘mártir’ da direita se fosse cassado

DESTAQUE, NOTÍCIAS, POLÍTICA


Apesar de o próprio PT ter pedido à Justiça a cassação do senador Sergio Moro (União Brasil-PR), o presidente Lula da Silva (PT) avaliava nos bastidores que esse desfecho — não concretizado — transformaria o ex-juiz em “mártir” da direita, segundo interlocutores governistas no Congresso. Na noite desta terça-feira, 21, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu absolver Moro da acusação de abuso de poder econômico durante a campanha eleitoral de 2022. A ação foi impetrada também pelo PL do ex-presidente Jair Bolsonaro. O presidente Lula ainda não se manifestou diretamente sobre o resultado.

De acordo com interlocutores, Lula analisava que a cassação, se ocorresse, seria uma “vitória de Pirro” do PT: até promoveria um revés ao seu algoz nos tempos da Lavo Jato, mas acabaria por fortalecê-lo politicamente.

Com o discurso de “perseguido pela Justiça”, Moro teria força para emplacar um aliado na eleição suplementar que seria convocada se houvesse de cassação. E esse aliado, disse o presidente a pessoas próximas, poderia ser mais radical que o senador e ter atuação destacada no Senado. Para o Palácio do Planalto, o ex-juiz da Lava Jato é “apagado” por não integrar tropa de choque da oposição bolsonarista.

O julgamento de Moro no TSE se deu no mesmo dia em que o Supremo Tribunal Federal (STF) impôs duas derrotas à Lava Jato: a segunda turma anulou a pena imposta ao ex-ministro José Dirceu, e o ministro Dias Toffolli derrubou todos os processos e investigações sobre o empresário Marcelo Odebrecht no âmbito da Operação. Procurador da Lava Jato quando Moro era o juiz, o ex-deputado Deltan Dallagnol foi às redes sociais dizer que “a corrupção venceu e quem a colocou no pódio foi o STF”.

Além disso, uma eventual eleição suplementar poderia representar mais uma derrota do PT no Paraná. A sigla dividida sobre a estratégia política no Estado às vésperas das eleições municipais, e não tem acordo sequer acerca da disputa pela prefeitura de Curitiba. Os potenciais candidatos ao Senado eram a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, que deseja apoiar o PSB na capital; e o deputado federal Zeca Dirceu, defensor de candidatura própria.

Veja também

Bahia ganhará novo hospital universitário

Foi anunciado nesta última quarta-feira (19), pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!