terça-feira 21 de setembro de 2021
Foto: Reprodução/TV Senado
Home / DESTAQUE / Justiça expede mandado de condução coercitiva para lobista ir a CPI
segunda-feira 13 de setembro de 2021 às 17:39h

Justiça expede mandado de condução coercitiva para lobista ir a CPI

DESTAQUE, JUSTIÇA, NOTÍCIAS


A juíza Pollyanna Alves, substituta da 12ª Vara Federal em Brasília, atendeu a um pedido da CPI da Pandemia no Senado para expedir mandado de condução coercitiva caso Marconny Albernaz de Faria, suspeito de ser lobista da Precisa Medicamentos, deixe de comparecer à comissão na quarta-feira (15) para quando foi agendado seu depoimento.

Segundo a revista Veja, os senadores tomaram a iniciativa de acionar a Justiça depois que Marconny faltou a uma oitiva sem apresentar justificativa. Ele deve depor como testemunha. A Precisa é a empresa que fechou um contrato bilionário com o Ministério da Saúde para fornecer a vacina indiana Covaxin. O contrato acabou cancelado pela pasta após suspeitas de irregularidades.

A CPI recebeu do Ministério Público Federal no Pará uma série de mensagens de Marconny trocadas com pessoas da Saúde. Parte dessas mensagens mostra o suposto lobista conversando com o empresário José Ricardo Santana, ex-secretário executivo da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a respeito da venda de 12 milhões de testes rápidos ao ministério. Marconny também tinha contato com Jair Renan, filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a quem ajudou a abrir uma empresa de eventos.

Os senadores sustentaram na Justiça que o depoimento de Marconny é “absolutamente imprescindível” para a conclusão da CPI, e chegaram a pedir também que o passaporte dele fosse retido, o que a juíza negou.

Veja também

ONU: Integrantes do Itamaraty esperam discurso mais moderado de Bolsonaro

Integrantes do Itamaraty têm a expectativa de que o discurso do presidente Bolsonaro na abertura …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!