quinta-feira 30 de maio de 2024
The New York Times destacou bandeiras do mandato de Marielle como vereadora Foto: Reprodução/The New York Times
Home / Mundo / MUNDO / Imprensa internacional destaca que pergunta sobre quem matou Marielle foi respondida 6 anos depois
segunda-feira 25 de março de 2024 às 06:19h

Imprensa internacional destaca que pergunta sobre quem matou Marielle foi respondida 6 anos depois

MUNDO, NOTÍCIAS


Veículos da imprensa internacional repercutiram neste último domingo (24) a operação da Polícia Federal que prendeu os suspeitos de terem mandado matar Marielle Franco. Foram presos o deputado federal Chiquinho Brazão (União Brasil-RJ), seu irmão Domingos Brazão, que é conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e o ex-chefe da Polícia Civil fluminense, Rivaldo Barbosa.

Os irmãos são apontados pela investigação como mandantes do crime, enquanto o delegado é suspeito de agir para proteger os dois e é acusado de participação no planejamento do assassinato. O advogado Ubiratan Guedes, que representa Domingos Brazão, e o advogado Alexandre Dumans, que representa o ex-chefe da Polícia Civil do Rio, negam a participação deles no crime. No início da semana, Chiquinho Brazão também negou qualquer relação com o caso.

O jornal norte-americano The New York Times destacou no título de sua reportagem conforme Pedro Augusto Figueiredo, do Estadão, que a polícia “diz ter resolvido o mais notório mistério de assassinato do Rio de Janeiro” e disse que Marielle era conhecida por lutar contra a corrupção e a violência policial. “Quem matou Marielle Franco? Essa foi a questão que assombrou o Rio de Janeiro nos últimos seis anos”, diz o texto.

O também norte-americano Washington Post ressaltou no título a prisão dos três agentes públicos, que classificou como bem-conhecidos da população e com conexões políticas no Rio de Janeiro. A reportagem também começa com a pergunta “Quem matou mandar Marielle?” e disse que a frase se tornou um mote da esquerda, sendo exibida em camisas, pintada nas paredes e publicada nas redes sociais.

O jornal disse também que as prisões representam uma rara ocasião onde foi demonstrada a ligação entre a elite política carioca e as mílicias “que controlam uma ampla faixa” da cidade, como há muito afirmam ativistas pelos direitos humanos.

Já o espanhol “El País” disse que os políticos presos são “poderosos e obscuros” e que a operação da Polícia Federal só foi possível por causa da delação do “assassino confesso”, em referência ao ex-policial militar Ronnie Lessa, +responsável por apontar os mandantes do crime.

Veja também

Entenda como o número do seu CPF pode indicar onde você mora

O número de CPF (Cadastro de Pessoas Físicas) é um documento único de identificação para …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!
Pular para a barra de ferramentas