quinta-feira 9 de dezembro de 2021
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil/Reprodução
Home / CURIOSIDADES / Brasil avalia se irá aplicar 3ª dose da vacina de Oxford
quarta-feira 30 de junho de 2021 às 09:02h

Brasil avalia se irá aplicar 3ª dose da vacina de Oxford

CURIOSIDADES, NOTÍCIAS


O Brasil será palco de um estudo inédito com a vacina contra Covid-19 de Oxford-AstraZeneca. O novo teste irá avaliar o efeito de uma terceira dose do imunizante, aplicada como reforço 12 meses após a segunda injeção. “Vamos submeter essa semana para a Conep [Comissão Nacional de Ética em Pesquisa] e a Anvisa um estudo com uma terceira dose da vacina de Oxford-Fiocruz, realizado nos voluntários que tomaram a segunda dose da vacina há 1 ano”, revelou à revista Veja a pesquisadora Sue Ann Costa Clemens, coordenadora do estudo no Brasil e única brasileira no grupo de especialistas que fez recomendações em estratégias de saúde pública para os ministros da saúde do G7.

A pesquisa é um desdobramento dos testes clínicos que buscam avaliar o potencial de novas estratégias de vacinação. Na segunda-feira, 28, foi divulgado o resultado de um estudo feito no Reino Unido, onde voluntários da fase 1 de testes clínicos do imunizante receberam uma terceira dose, aplicada seis meses após a segunda injeção. Os resultados mostraram que essa dose de reforço aumentou ainda mais a resposta imune ao novo coronavírus.

A expectativa é que com um intervalo maior – de 12 meses, em vez de seis – a resposta imune gerada após a dose de reforço seja ainda mais forte. “Agora que a gente já mostrou que com o reforço após seis meses os títulos [de anticorpos] aumentam consideravelmente, eu acho que esse estudo terá ótimos resultados”, diz Sue.

A pesquisadora espera iniciar o estudo dentro de três a quatro semanas. Vale ressaltar que apenas os voluntários que receberam a vacina poderão receber essa terceira dose. Aqueles que participaram como grupo controle e receberam a vacina de meningite não serão incluídos porque eles receberam o imunizante há pouco tempo e o intervalo não é suficiente para aplicação do reforço.

“O estudo fase 3 tinha duração de 12 meses após a segunda dose. Nesse novo formato, ele vai terminar com 13 meses. Quando os voluntários que tomaram a vacina voltarem ao centro, 12 meses após a segunda dose, para a última coleta de sangue, nós vamos oferecer a vacina de reforço. Após um mês, esse voluntário retorna ao centro para uma última coleta de sangue e então o estudo acaba oficialmente”, diz Sue.

Veja também

Senado aprova volta da propaganda de partidos políticos em rádio e TV

O Plenário do Senado aprovou na noite desta última quarta-feira (8) o projeto de lei …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!