segunda-feira 24 de junho de 2024
Foto: Secom/PMG
Home / DESTAQUE / Baixa escolaridade e salários mínimos predominam entre trabalhadores acima de 50 anos
quinta-feira 30 de maio de 2024 às 07:29h

Baixa escolaridade e salários mínimos predominam entre trabalhadores acima de 50 anos

DESTAQUE, NOTÍCIAS


Mais de 13 milhões de pessoas com mais de 50 anos trabalham no Brasil

No Brasil, 13.454.522 milhões de trabalhadoras e trabalhadores com idade superior a 50 anos estão ativos em uma variedade de ocupações, conforme dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2022. No entanto, uma característica desses trabalhadores é a prevalência de atividades com baixa remuneração e exigência educacional, o que pode ser apreendido pelo registro das ocupações desempenhadas por eles, de acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO).

Veja as dez ocupações das pessoas com mais de 50, 60,70 e 80 anos.

O coordenador-geral de Estudos e Estatísticas do Trabalho, Felipe Vella Pateo, enfatiza que os dados não apenas refletem a realidade atual do mercado de trabalho para pessoas com mais de 50 anos, mas também destacam a importância de reconhecer e valorizar a contribuição desses profissionais para a economia e a sociedade como um todo.

Segundo Felipe Pateo, a estrutura econômica do Brasil continua gerando predominantemente postos de trabalho em setores básicos de serviços, subutilizando o potencial desses profissionais experientes. Ele ressalta a necessidade de avançar para a geração de mais empregos na indústria e em setores de serviços avançados, onde esses trabalhadores qualificados possam desempenhar papéis de supervisão e mentoria, repassando seu conhecimento para as gerações mais jovens. “Embora muitos desses profissionais demonstrem resiliência e dedicação ao permanecerem ativos no mercado de trabalho em fases avançadas da vida, é imprescindível abordar os desafios que enfrentam. Baixos salários, falta de oportunidades de progressão na carreira e discriminação etária são questões prementes que merecem atenção”.

“Diante dessas constatações, torna-se evidente a necessidade urgente de políticas públicas e iniciativas privadas voltadas para a inclusão e valorização desses trabalhadores mais experientes. Investimentos em programas de capacitação, oportunidades de reciclagem profissional e ações que promovam um ambiente de trabalho inclusivo e livre de preconceitos podem contribuir significativamente para melhorar as condições de trabalho e qualidade de vida desses indivíduos”.

Guia Brasileiro de Ocupações

No Guia Brasileiro de Ocupações é possível ter acesso ao  Painel com informações das ocupações e mercado de trabalho formal cada ocupação, acesse aqui .

Capacitação e Adaptação Digital

Os dados da RAIS de 2022 revelam tanto os desafios quanto às oportunidades para os trabalhadores com mais de 50 anos no Brasil. É fundamental implementar políticas e iniciativas que valorizem e aproveitem a vasta experiência desses profissionais, ao mesmo tempo em que os capacitam para as exigências do mercado de trabalho contemporâneo. A Escola do Trabalhador 4.0 representa um passo importante nessa direção, contribuindo para o acesso ao trabalho, emprego e renda, fortalecendo a força de trabalho do país.

Programa letramento digital da Escola do Trabalhador

Uma iniciativa do Ministério do Trabalho e Emprego realizada em parceria com a Microsoft para promoção de qualificação e inserção profissional. De acordo com a diretora do departamento de Qualificação Social e Profissional, Cristina Kavalkievicz, a Escola do Trabalhador 4.0 faz parte do programa Caminho Digital e oferece cursos gratuitos na área das tecnologias da informação e comunicação, com o objetivo de ajudar o trabalhador e a trabalhadora a se preparar para o mundo do trabalho. “Os cursos da Escola do Trabalhador 4.0 estão disponíveis para os trabalhadores e as trabalhadoras de todo o país e seguem sendo ampliados. A plataforma de ensino remoto conta com sete trilhas de conhecimento e mais de 140 cursos, na área das tecnologias da informação e comunicação, como letramento digital, análise de dados, inteligência artificial, e ainda como preparar um currículo, se preparar para uma entrevista de emprego, entre outros. Todos os cursos incluem certificação após a realização de um teste”, explica.

Cristina ressalta que o intuito do programa é qualificar a força de trabalho, jovens e adultos com foco em contribuir para o acesso ao trabalho, emprego e renda. O público-alvo são trabalhadores e trabalhadoras, maiores de 18 anos, que estão em busca de emprego e querem se reinventar, se preparar para as novas demandas do mundo de trabalho, principalmente com foco no ambiente digital.

Veja também

Pesquisadores ouvem comunidades sobre avanço da água salgada no São Francisco

Agentes da Embrapa promoveram, na última quarta-feira (19), em Brejo Grande, Sergipe, uma reunião para …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!