segunda-feira 27 de junho de 2022
Foto: Valdemiro Lopes
Home / NOTÍCIAS / Vereadora se posiciona sobre denúncia contra Fundação Dr. Jesus do deputado Isidório
quarta-feira 22 de junho de 2022 às 10:05h

Vereadora se posiciona sobre denúncia contra Fundação Dr. Jesus do deputado Isidório

NOTÍCIAS


O Mandato Coletivo Pretas Por Salvador se posicionou sobre as denúncias de maus tratos e LGBTFobia praticados na Fundação Dr. Jesus, comandada pelo deputado federal Sargento Isidório (Avante/BA). O caso foi exposto na edição do programa Fantástico da Rede Globo, deste último domingo (19).

“O espaço que deveria ser de acolhimento e de tratamento demonstra a realidade de um país que usa de dinheiro público para aplicar métodos que ferem os direitos humanos e são contrários ao que orienta a ciência”, pontua a vereadora Laina Crisóstomo.

Um trecho da reportagem exibe a fala do deputado e dirigente da entidade na qual associa pessoas transgênero a práticas diabólicas. “Você deixou o diabo lhe enganar. Você deixou o médico cortar seu pé de sofá. Ela só pensa que tem bilau. O diabo diz ao homem que ele pode ser mulher, aí ele se veste todo, bota silicone”, diz Isidório em trecho exibido na matéria.

Para o coletivo que luta por inclusão e em defesa dessa comunidade, tendo inclusive a vereadora Laina Crisóstomo como única parlamentar lésbica na Câmara Municipal de Salvador, o acontecimento coage e influencia as pessoas a acreditarem que não é certo ser quem são e que serão “curadas” através da religião.

De acordo com a apuração do Fantástico, a Fundação Dr. Jesus recebeu do Governo da Bahia, desde 2015, repasses no valor de R$ 84 milhões. Em publicação realizada na segunda-feira (20), As Pretas destacaram total repúdio ao caso, que enfatiza crimes como homofobia, transfobia e intolerância religiosa.

“Ao longo dos anos, as comunidades terapêuticas têm recebido cada vez mais dinheiro público, repassado por municípios, estados e pela União. Vale ressaltar que muitas dessas instituições, utilizam de recursos para promover desrespeito aos direitos humanos e à comunidade LGBTQIAP+, mesmo sendo função do Estado garantir tratamento adequado”, disse a vereadora.

“A quem interessa investir 84 milhões de reais numa comunidade terapêutica que publicamente é colocada como um espaço de tortura, de cárcere, de violência e de trasnfobia?”, questionou Laina em vídeo publicado nas redes sociais.

A vereadora destaca que o acontecimento também reafirma a necessidade de fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS) e todos os seus programas, assim como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), “O governo federal tem feito exatamente o oposto e aumentado drasticamente o financiamento dessas instituições privadas em detrimento ao financiamento das CAPS”, apontou Laina.

Veja também

‘Bolsonaro participa nesta semana de motociata em Salvador’, confirma Roma

O pré-candidato a governador da Bahia, ex-ministro da Cidadania e deputado federal, João Roma (PL), …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!