domingo 14 de agosto de 2022
Foto: Divulgação
Home / ESPORTE / Seis atletas que ganharam mais de US$ 1 bi dentro e fora do esporte
domingo 12 de junho de 2022 às 17:09h

Seis atletas que ganharam mais de US$ 1 bi dentro e fora do esporte

ESPORTE, NEGÓCIOS, NOTÍCIAS


O suposto contrato de US$ 200 milhões de Phil Mickelson com o LIV Golf Tour, apoiado pela Arábia Saudita, é o mais recente e maior exemplo do valor que ligas esportivas, marcas e até fundos soberanos veem ao se alinharem com os melhores atletas do mundo. As informações são da revista Forbes

“Atletas são ativos estratégicos das ligas em que jogam”, diz David Carter, que fundou a consultoria Sports Business Group e é professor de negócios esportivos na USC. “Antes eram simplesmente empregados”, analisa.

Se confirmado o contrato com o LIV Golf, que Mickelson não negou quando confrontado com isso em uma entrevista coletiva nesta semana, o esportista agora se junta a um dos clubes mais exclusivos de todos os esportes – o de atletas que ganharam mais de US$ 1 bilhão em suas carreiras.

Os sete atletas da lista – que inclui jogadores de futebol, tênis, basquete e golfe –transcenderam os esportes que respectivamente dominam e se tornaram ícones globais, alcançando oportunidades ainda mais lucrativas fora de seus campos de jogo.

O maior ganhador de todos, Tiger Woods, por exemplo, fez menos de 10% de sua carreira inigualável de US$ 1,72 bilhão com ganhos de golfe, com o restante vindo de enormes acordos de patrocínio que ele manteve ao longo de uma carreira de 27 anos.

Woods é um bilionário em grande parte graças aos seus recordes. Assim como LeBron James, que arrecadou US$ 1,16 bilhão em ganhos ao longo da vida e também ganhou muito dinheiro com investimentos inteligentes. Mas eles são os únicos entre esses ganhadores de bilhões de dólares a cruzar esse limite. Isso porque os ganhos são registrados antes dos impostos e outras despesas.

Ainda assim, a existência de atletas bilionários é um fenômeno novo, possibilitado pelo alcance cada vez maior da mídia moderna. À medida que a notoriedade internacional dos melhores atletas aumenta, também aumenta o tamanho de seus acordos de patrocínio.

“Nenhum desses caras será bilionário se não tiver uma presença global”, diz Carter. “O que há de novo na última geração é o imediatismo da conexão da mídia com a tecnologia, o fato de que a maioria dos negócios em que esses caras estão envolvidos tem uma oportunidade global ligada a isso”, analisa o consultor e professor.

A tendência não mostra sinais de desaceleração e, nos últimos anos, contratos esportivos recordes parecem ser superados antes que a tinta que assinou o contrato recordista anterior seque. Em pouco tempo, espera-se que mais atletas se juntem às fileiras desses poucos privilegiados.

Líderes de ganhos de todos os tempos

Tiger Woods: US$ 1,72 bilhão (Golfe)

Woods, de 46 anos, foi em seu auge o atleta mais prolífico da história, arrecadando mais de US$ 100 milhões por ano e liderando a lista anual da Forbes dos atletas mais bem pagos do mundo por uma década seguida.

Cristiano Ronaldo: US$ 1,24 bilhão (Futebol)

O goleador possui mais de 690 milhões de seguidores em todas as plataformas de mídia social, o que lhe permite negociar taxas altíssimas de patrocinadores como Nike, Herbalife e Shampoo Clear. Ele é um investidor nos restaurantes Tatel e no próximo aplicativo da comunidade de futebol ZujuGP.

LeBron James: US$ 1,16 bilhão (Basquete)

Além de seu contrato vitalício com a Nike e um contrato de US$ 41,5 milhões com o Los Angeles Lakers, a lenda do basquete de 37 anos vendeu uma participação minoritária significativa em sua produtora, SpringHill, em outubro, com uma avaliação de cerca de US$ 725 milhões. Ele também assumiu participações acionárias em várias das empresas que endossou, incluindo a companhia de fitness domiciliar Tonal, todas somando um patrimônio líquido de US$ 1 bilhão.

Lionel Messi: US$ 1,15 bilhão (Futebol)

O atacante argentino foi o atleta mais bem pago do mundo nos últimos 12 meses, apesar de um corte salarial significativo quando se mudou do Barcelona para o PSG. Ele também assinou um acordo de US$ 20 milhões com o aplicativo de engajamento de fãs Socios para fechar acordos de longo prazo com Adidas, Budweiser, PepsiCo e Hard Rock International.

Roger Federer: US$ 1,09 bilhão (Tênis)

Apesar de não disputar um torneio desde Wimbledon, em julho passado, o maestro suíço de 40 anos ganhou mais dinheiro nos últimos 12 meses fora de campo – US$ 90 milhões – do que qualquer outro atleta do mundo. Ele é um dos principais embaixadores da Rolex e da Uniqlo e tem um investimento considerável na crescente marca de calçados On.

Floyd Mayweather: US$ 1,08 bilhão (Boxe)

Em 2018, Mayweather protagonizou o maior pagamento individual da história do esporte, quando arrecadou US$ 275 milhões em sua luta com Conor McGregor. Sua decisão de administrar sua própria empresa de promoção de suas lutas o levou a receber uma parte do pay-per-view, além de patrocínios e acordos internacionais de TV para cada uma das quatro lutas mais lucrativas da história do boxe.

Veja também

Quem foi Vitrúvio, genial arquiteto militar que inspirou obra icônica de Leonardo da Vinci

Há pouco mais de 2 mil anos, um soldado e engenheiro aposentado escreveu o livro …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!