terça-feira 16 de julho de 2024
Foto: Assessoria
Home / NOTÍCIAS / Preso por suspeita de desvios do fundo partidário, ex-presidente do PROS presta depoimento à PF
quinta-feira 20 de junho de 2024 às 11:40h

Preso por suspeita de desvios do fundo partidário, ex-presidente do PROS presta depoimento à PF

NOTÍCIAS, POLÍTICA


Preso por suspeita de organização criminosa, lavagem de dinheiro, furto qualificado, apropriação indébita, falsidade ideológica e apropriação de recursos destinados ao financiamento eleitoral, o ex-presidente do Partido Republicano da Ordem Social (PROS) e do Solidariedade Eurípedes Júnior deverá prestar depoimento às 10h desta quinta-feira à Polícia Federal. As informações são de Paolla Serra. Do jornal, O GLOBO.

Júnior está preso preventivamente desde o último sábado. Como O GLOBO mostrou, o inquérito revelou que o político utilizou empresas de fachada no esquema que teria desviado R$ 36 milhões de fundo partidário. Entre as firmas suspeitas de envolvimento nos crimes, estão consultorias, agência de viagens e até uma auto escola.

“Dentre oito empresas investigadas, apenas duas apresentaram efetiva atividade empresarial, porém com indícios de lavagem de dinheiro. Quanto ao restante das pessoas jurídicas foi constatado que nunca produziram ou circularam bens ou serviços, tanto que não possuem funcionários registrados e nem mesmo bens para o desenvolvimento de suas atividades econômicas. Algumas possuem o mesmo endereço como sede, quando não, a residência do próprio líder da organização criminosa”, destaca a PF, em relatório encaminhado à Justiça Eleitoral do Distrito Federal.

No documento, os investigadores mencionam também uma empresa supostamente especializada em marketing, que teria recebido, no total, cerca de R$ 1 milhão do PROES, sem apresentar “capacidade operacional” para o serviço contratado.

Segundo a PF, Júnior também teria teria utilizado recursos do fundo partidário para viajar com familiares a destinos internacionais como Dubai, França, Punta Cana, Miami, Orlando, México e Itália, além de fazer um cruzeiro marítimo.

As investigações também apontam que Júnior teria esvaziado as contas do PROS na ocasião da sua destituição do cargo, transferindo valores para uma fundação onde ele e outros parentes tinham poderes de gestão e direção.

“Observou-se a transferência de R$ 100 mil em favor de empresa de turismo, com a descrição da nota crédito para ser utilizado em viagens nacionais e internacionais, locação de carro, hospedagem, salas de reunião e eventos, seguro viagem e bilhetes aéreos nacionais e internacionais”, informou a corporação à Justiça.

Ao vislumbrar seu afastamento da gestão do partido, Júnior teria buscado garantir um crédito com a agência de turismo aberta em nome de familiares para custeio de suas viagens. No período da investigação, iniciada em 2017, percebeu-se intenso fluxo migratório, com o pagamento de despesas que incluíram passagens aéreas e hospedagens.

“A investigação sobressaltou que as viagens com destino a Miami e Orlando costumam possuir escalas prolongadas no Panamá, considerado paraíso fiscal, denotando, a esse respeito, a necessidade de maior profundidade no alcance das provas”, escreveu a PF.

O inquérito destaca também que Júnior teria, quatro dias antes de deixar o PROS, determinado o “desmonte” da sede do partido, retirando, por exemplo, equipamentos avaliados em mais de R$ 15 milhões que guarneciam o parque gráfico em Planaltina, Goiás.

Também teriam sido retirados do local dez veículos, um helicóptero, aparelhos de ar-condicionado, computadores, sistema de energia solar e diversos móveis, todos bens pertencentes ao PROS.

Em nota, o Solidariedade afirmou que “os fatos investigados no inquérito que atingiu os ex-dirigentes do partido PROS são anteriores à incorporação do antigo Partido PROS pelo Solidariedade.” O partido diz que aguarda o desenrolar da apuração para tomar as “providências cabíveis” e que “acredita na Justiça, no direito de defesa e no devido processo legal.”

Veja também

Alexandre de Moraes retira sigilo de áudio de “Abin paralela” de Bolsonaro; ouça

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta segunda-feira (15) a …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!