domingo 14 de agosto de 2022
Os presidenciáveis Lula, Bolsonaro e Ciro Foto: Reprodução/Reprodução
Home / NOTÍCIAS / Presidenciáveis erram sobre economia, urnas e saúde; veja checagem
sábado 25 de junho de 2022 às 17:45h

Presidenciáveis erram sobre economia, urnas e saúde; veja checagem

NOTÍCIAS, POLÍTICA


Durante as duas últimas semanas, os quatro pré-candidatos à presidência da República mais bem posicionados nas pesquisas de intenção de votos deram entrevistas, fizeram transmissões ao vivo e discursaram para seus apoiadores.

A Agência Lupa acompanhou as entrevistas de Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) ao podcast O Assunto; as entrevistas de Jair Bolsonaro (PL) ao canal da jornalista Leda Nagle e à rádio Itatiaia; e também o discurso de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante ato político em Sergipe. Algumas das frases ditas pelos políticos foram verificadas. Confira o resultado:

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

Quando deixei a Presidência, o Brasil era a sexta economia do mundo

Lula

pré-candidato à Presidência pelo PT, em ato político em Aracaju (SE) no dia 18 de junho

FALSO

Em 2010, último ano de mandato de Lula, o país era considerado a oitava economia mundial. A economia brasileira chegou a estar entre as seis maiores do mundo somente durante o segundo ano do primeiro mandato de Dilma Rousseff (PT).

Em dezembro de 2011, o CEBR (Centro de Pesquisa Econômica e de Negócios, na tradução da sigla em inglês) divulgou uma projeção que mostrava que a economia brasileira ultrapassaria a economia britânica, então sexta maior do mundo, no final do ano. Em 2012, essa previsão foi confirmada. No entanto, ainda em 2012, o Brasil foi ultrapassado novamente pelo Reino Unido. Atualmente, o ranking da Austin Rating indica que o Brasil é a décima economia do mundo..

Procurada, a assessoria de imprensa de Lula não respondeu.

Emprestamos 15 bilhões [de dólares] para o FMI

Lula

em ato em Aracaju, no dia 18

EXAGERADO

Em 2009, quatro anos após o pagamento da dívida do Brasil com o FMI (Fundo Monetário Internacional), o país emprestou recursos à instituição pela primeira vez na história. A concessão, no entanto, foi de US$ 10 bilhões, não de US$ 15 bilhões. Como o número citado por Lula é 50% maior do que o real, a afirmação foi classificada como exagerada.

Em 2002, o então presidente Fernando Henrique Cardoso contraiu um pacote de ajuda financeira de US$ 30 bilhões com o FMI –foi o terceiro acordo de socorro fechado durante o seu governo. Em 2005, já no governo Lula, a dívida com a instituição foi quitada integralmente. O país era devedor do Fundo desde o final de 1998, no primeiro mandato de FHC.

Procurada, a assessoria de imprensa de Lula não respondeu.

Nós [PT] geramos 22 milhões de empregos com carteira profissional assinada nesse país

Lula

em ato em Aracaju, no dia 18

EXAGERADO

Os números sobre emprego formal no Brasil durante os governos de Lula e Dilma (PT) são inferiores aos declarados pelo petista. Segundo a Rais (Relação Anual de Informações Sociais), do Ministério da Economia, a diferença entre o número de pessoas empregadas em 2002 —último ano antes de Lula assumir a presidência— e 2015 —último ano completo do PT no poder— era de 19,4 milhões.

Já os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), também do Ministério da Economia, mostram que, de janeiro de 2003 até abril de 2016, quando Dilma foi afastada da Presidência, foram criadas 14,1 milhões de vagas.

A diferença entre os dois dados oficiais se deve ao fato de que o Caged mostra apenas vagas de emprego no setor privado, enquanto a Rais também contabiliza os empregos do setor público. A atualização das duas bases também é diferente: a Rais é anual, enquanto o Caged é mensal.

Procurada, a assessoria de imprensa de Lula não respondeu.

JAIR BOLSONARO

Olha só, eles convidaram as Forças Armadas para participar numa comissão de Transparência Eleitoral. As Forças Armadas descobriram mais de 500 vulnerabilidades, mais de 500 maneiras de você fazer alguma coisa lá

Jair Bolsonaro

presidente e pré-candidato à reeleição pelo PL, em entrevista para o canal Leda Nagle no 15 de junho

FALSO

Não existe nenhum registro sobre as Forças Armadas terem descoberto mais de 500 vulnerabilidades nas urnas eletrônicas enquanto integrantes da CTE (Comissão de Transparência Eleitoral), instalada em setembro de 2021 pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Houve, sim, cerca de 80 questionamentos específicos das Forças Armadas para compreender o funcionamento das urnas eletrônicas. “As questões, de natureza técnica, foram respondidas detalhadamente pela Secretaria de Tecnologia da Informação do TSE em um documento com 69 páginas e três anexos, somando pouco mais de 700 páginas”, informou o TSE, em fevereiro. Não foram apontadas vulnerabilidades nesse documento.

Em 13 de junho, o TSE informou que acolheu, de forma completa ou parcial, 32 propostas feitas pelos integrantes da CTE para as eleições de 2022. O número representa 72% do total de 44 propostas (o número inicial era de 47, mas algumas repetições foram aglutinadas) e 25% delas (11 propostas) estão sendo avaliadas para as próximas eleições municipais. Apenas uma foi rejeitada.

Procurada, a assessoria de imprensa da Presidência não respondeu.

O gasto em 2020 com Auxílio Emergencial foi equivalente a 15 anos de Bolsa Família

Jair Bolsonaro

em entrevista à rádio Itatiaia, no dia 22 de junho

EXAGERADO

Em 2020, o governo federal pagou R$ 230 bilhões a beneficiários do Auxílio Emergencial. Já considerando o período de 2004 a 2018, os 15 primeiros anos do programa Bolsa Família, o valor desembolsado foi de R$ 394,3 bilhões em valores corrigidos pelo IPCA no mês de dezembro de 2020 — montante 71,4% maior que o sugerido por Bolsonaro.

Procurada, a assessoria de imprensa da Presidência não respondeu.

Sobre o desmatamento na Amazônia no meu governo, segundo aqui o Inpe, 34 mil km². É muito, é, ninguém discute isso aí, né? Mas nos primeiros três anos do Lula foram 72 mil km², então um pouquinho mais que o dobro comparando os três no meu com os três anos do Lula

Jair Bolsonaro

em live no YouTube no dia 16 de junho

VERDADEIRO, MAS

Os dados do Prodes (Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite), do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), de fato indicam uma taxa de desmatamento de 72.182 km² no somatório dos anos de 2003, 2004 e 2005, no início do governo Lula. Para os anos de 2019, 2020 e 2021, já no governo Bolsonaro, a taxa foi de 34.018 km².

Houve uma queda, no entanto, no total desmatado de 2005 em relação a 2004. Nos anos seguintes do governo Lula, os números do desmatamento continuaram a cair e, em 2010, quando o petista terminou o seu segundo mandato, a taxa era de 7.000 km² – inferior, portanto, às atuais. No governo Bolsonaro, o desmatamento tem crescido ano a ano desde que ele assumiu a Presidência, em 2019.

Além disso, os números citados pelo presidente incluem o desmatamento registrado nos últimos cinco meses de 2002, ainda no governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), e de 2018, no de Michel Temer (MDB). Isso ocorre porque o Prodes analisa o período que vai de 1º de agosto de um ano até 31 de julho do ano subsequente.

A data de 1º de agosto é adotada como referência para o cálculo das taxas anualizadas devido ao grande número de imagens de satélite na estação seca entre os meses de junho e setembro, período em que a metodologia assume que a maioria dos desmatamentos são registrados.

CIRO GOMES

Nascem 2 milhões e qualquer coisa de crianças por mês [no país]

Ciro Gomes

pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, em entrevista ao podcast O Assunto no dia 13 de junho

FALSO

Ciro erra ao afirmar que nascem 2 milhões de crianças por mês no Brasil. O dado mencionado pelo presidenciável diz respeito ao número de nascimentos que ocorreram em todo o ano passado. Segundo os dados do Portal da Transparência do Registro Civil, 2,6 milhões de registros de nascimento foram emitidos em 2021. Isso corresponde a uma média de 216 mil por mês. Já de janeiro a junho deste ano, houve a emissão de 1,2 milhão de registros de nascimento, uma média de 200 mil por mês.

Procurada, a assessoria de imprensa de Ciro afirmou, pelo WhatsApp, que ele já usou o dado em outras entrevistas e sempre mencionava que os 2 milhões de nascimentos eram por ano.

A melhor escola de medicina do Brasil pelo ranking do MEC está em Sobral, e é federal

Ciro Gomes

em entrevista ao podcast O Assunto no dia 13

FALSO

O curso de medicina do campus de Sobral da UFC (Universidade Federal do Ceará) recebeu o conceito contínuo 3,7116 no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes) de 2019, o mais recente a avaliar cursos da área da saúde. Foi o 49º colocado de um total de 231 avaliados.

Já o CPC (Conceito Preliminar de Curso) contínuo — que, além da nota do Enade, considera outras estatísticas como o percentual de mestres e doutores no corpo docente — colocou o curso de Sobral como o 109º entre os avaliados, com índice de 3,136 em 2019.

Procurada, a assessoria de Ciro afirmou que os cursos de farmácia, enfermagem e odontologia da UFC alcançaram o primeiro lugar no ranking nacional. “Ou seja, a UFC é uma das melhores escolas de saúde do Brasil”, concluiu.

SIMONE TEBET

Quatro anos atrás, em que valeu pela primeira vez a regra de igualdade de fundo partidário eleitoral, de tempo de rádio e televisão, aumentou em 45% o número de deputadas federais

Simone Tebet

pré-candidata à Presidência pelo MDB, em entrevista ao podcast O Assunto no dia 20 de junho

VERDADEIRO, MAS

Entre 2014 e 2018, houve um aumento de 51% no número de deputadas federais eleitas —o número saltou de 51 para 77. Entretanto, em termos relativos, elas ocupam apenas 15% das cadeiras da Casa enquanto representam 51,1% da população brasileira.

Veja também

Quem foi Vitrúvio, genial arquiteto militar que inspirou obra icônica de Leonardo da Vinci

Há pouco mais de 2 mil anos, um soldado e engenheiro aposentado escreveu o livro …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!