sexta-feira 19 de julho de 2024
Foto: Reprodução
Home / NOTÍCIAS / Plano Safra da Agricultura Familiar terá mudanças após tragédia no RS, diz ministro
segunda-feira 20 de maio de 2024 às 06:40h

Plano Safra da Agricultura Familiar terá mudanças após tragédia no RS, diz ministro

NOTÍCIAS


O ministro do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, afirmou em entrevista à Coluna do Estadão que o governo federal fará mudanças nas linhas de crédito do Plano Safra da Agricultura Familiar diante da tragédia no Rio Grande do Sul. De acordo com o ministro, o programa precisará levar em conta as necessidades dos produtores rurais gaúchos, que terão dificuldades de apresentar garantias frente à destruição causada pelas enchentes.

Nos cálculos da pasta, há cerca de 140 mil agricultores nas áreas em calamidade e emergência atingidas pelas chuvas, e sua equipe vai adequar os pré-requisitos para a tomada de empréstimo. “Já estávamos discutindo alterações (no fundo de aval). A tragédia no Rio Grande do Sul reforça essa necessidade. Nossa preocupação não é somente com quem tem acesso ao crédito, mas com quem tinha e pode não ter mais”, declarou Teixeira.

“Esse não é o primeiro evento climático a atingir esses agricultores. Precisamos aproximar a situação de crédito à capacidade dele de tomar empréstimo. Ele precisa, nessa nova fase, de um apoio para se recuperar , mas também ter máquinas e tecnificação que permita aumento da produtividade”, acrescentou o ministro.

De acordo com o ministro, hoje há 2,5 milhões de agricultores familiares habilitados para o programa de crédito no País. No entanto, sem ter como apresentar garantias, cerca de um milhão não consegue acesso no banco.

Deputado federal licenciado pelo PT-SP, Paulo Teixeira lembra que o Plano Safra da Agricultura Familiar será lançado em junho. “Temos muitas questões e mudanças que vamos implementar, via Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Não temos noção do valor, porque será negociado com a Fazenda, mas vamos inovar no sentido de fazer o pequeno produtor entrar nas linhas de crédito, para que ele tenha capacidade de mecanização”.

Até lá, o Ministério do Desenvolvimento Agrário vai promover outras ações de apoio ao Rio Grande do Sul. Paulo Teixeira evita antecipar as medidas e diz que tudo será anunciado pelo presidente Lula da Silva. “Nossa preocupação agora é apoiar o agricultor com assistência técnica, crédito e escoamento da produção. O escoamento é a nossa preocupação. O governo está presente, com o ministro dos Transportes, Renan Filho, reformando as pistas”, disse Teixeira.

Para o ministro, “o grande desastre para a agricultura já aconteceu” e este é o momento de esperar o escoamento da água para se ter noção do tamanho do desastre para o setor. “Temos pela frente um gigante desafio de reconstrução. Não temos um horizonte de voltar a chover para atingir mais gente. Todas as perdas humanas, de bens, de investimentos são muito grandes. Precisamos animar esses agricultores, eles precisam se sentir protegidos, não podem se sentir sozinhos na reconstrução”, defendeu.

Apesar de o Rio Grande do Sul ser o maior produtor de arroz do País, o ministro afirmou que não haverá desabastecimento e defende a importação de um milhão de toneladas do cereal, anunciada pelo governo Lula e criticada por setores do agronegócio.

“A compra vai repor a perda, mas as fake news sobre desabastecimento fizeram com que as pessoas comprassem mais arroz. Será um processo de aproximação, uma equação, para que se possa vender a preço de mercado e o consumidor possa comprar num valor que caiba no seu bolso. Esse volume que está sendo comprado não é suficiente para alterar o preço do produto”, declarou.

Veja também

‘Eu digo a Haddad todo dia: Não se preocupe, as coisas vão dar certo’, afirma Lula

O presidente Lula da Silva (PT) afirmou nesta sexta-feira (19), durante discurso em São José …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!