domingo 17 de outubro de 2021
Foto: Reprodução/Pixabay 
Home / NOTÍCIAS / Pesquisa indica que 58% dos brasileiros são a favor da legalização dos jogos de azar
segunda-feira 29 de março de 2021 às 19:48h

Pesquisa indica que 58% dos brasileiros são a favor da legalização dos jogos de azar

NOTÍCIAS


O tema continua na pauta política e judicial, e ganha a cada dia mais interesse do brasileiro. Em nova sondagem publicado pela coluna Esplanada divulgada nesta segunda-feira (29) pela Paraná Pesquisas revela que a maioria dos cidadãos querem a legalização dos jogos de azar – hoje concentrados sob tutela da Caixa e de governos estaduais na modalidade loteria.

Entre os entrevistados, 58% se disseram a favor de todos os jogos de azar no Brasil, 35,1% contra, e 6,9%  não souberam responder.

Os homens (65,4%) com ensino médio (61,4%), população economicamente ativa (60,2%) da Região Norte/Centro Oeste (61,3%) foram os mais favoráveis à legalização. Uma curiosidade é que a modalidade cassinos foi rejeitada pela maioria, mas com pequena diferença: 46,1% são contra a volta dos cassinos, 45,5% a favor.

A geração de empregos e renda, arrecadação de impostos e os ganhos com as outorgas para implantação das casas de jogos foram fatores apontados na escolha dos entrevistados a favor da legalização.

A pesquisa é uma parceria do portal BNL/Data e Instituto Jogo Legal com a Paraná. Foram ouvidos 2.086 brasileiros por telefone de 15 a 19 de março, em 194 cidades de todos os Estados e no DF.

Há avanços no âmbito judicial e legislativo sobre o tema. O Supremo Tribunal Federal vai abordar a questão da legalização no julgamento do Recurso Extraordinário 966.177, com repercussão geral reconhecida (Tema 924), pautado para dia 7 de abril.

No Senado, Angelo Coronel (PSD-BA) apresentará o relatório com substitutivo ao PLS 2648/19. A proposta de Roberto Rocha (PSDB-MA) legaliza cassinos em resorts, mas o relator defende a legalização de todas as modalidades.

Veja também

O que os números de Israel indicam sobre o futuro da pandemia

Você deve se lembrar. Em março, quando o Brasil patinava na escassez de vacinas e vivia …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!