domingo 16 de janeiro de 2022
Previsão é liberar a obra da nova ponte do Guaíba em novembro — Foto: Divulgação/Dnit
Home / NOTÍCIAS / Nova ponte passa por grande teste; entenda os motivos
terça-feira 30 de novembro de 2021 às 12:44h

Nova ponte passa por grande teste; entenda os motivos

NOTÍCIAS


A nova ponte do Guaíba, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, ficará totalmente interditada nesta terça-feira (30) para avaliação de técnicos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), que vão submeter a estrutura ao ensaio de prova de carga dinâmica. A via, que faz a ligação entre a BR 290 e a BR 116, permanecerá bloqueada até 16h nos dois sentidos da travessia. Por conta disso, o tráfego será desviado para a ponte Getúlio Vargas (ponte móvel).

O Dnit informa que as BRs 290 e 116 estarão sinalizadas alertando os usuários. Para quem vem do sentido Eldorado do Sul-Porto Alegre/região Metropolitana, a orientação é seguir direto para acessar a ponte móvel. Os motoristas que vem do sentido Porto Alegre/Região Metropolitana – Eldorado do Sul deve ficar atentos à sinalização na BR-290/RS e ingressar na Rua João Moreira Maciel, passar por baixo das alças da nova Ponte e seguir até o acesso à ponte móvel.

De acordo com a autarquia, serão realizados testes para verificar as deformações nos apoios do vão navegável – vãos centrais – da travessia. O Dnit destaca que o trabalho está sendo feito porque a tecnologia construtiva utilizada na travessia é pioneira no Rio Grande do Sul e precisa ser monitorada. “O ensaio de prova de carga dinâmica visa a certificação inicial do comportamento estrutural da ponte, com a determinação das propriedades de rigidez dos respectivos vãos para serem referenciados no manual de manutenção da estrutura”, informa a equipe de engenheiros.

Estrutura da ponte

A nova Ponte do Guaíba tem 2,9 quilômetros de extensão suspensos e está apoiada em 3.232 estacas. É composta por duas faixas de rolamento para cada sentido, cada uma com 3,8 metros de largura cada, canteiro central de 1,3 metro e acostamentos de 3,9 metros.

O empreendimento foi executado quase na totalidade por elementos pré-fabricados. Ao todo, foram moldadas mais de 18 mil unidades de estacas, pilares, vigas, lajes, aduelas, guarda-rodas e outras que consumiram 348,7 mil toneladas de concreto e quase 19 mil toneladas de aço.

Iniciada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em 2014, a obra passou por período de estagnação e foi retomada a partir de janeiro de 2019, sendo classificada como prioritária pelo Governo Federal.

“Essa é uma das maiores obras de engenharia nacional e representa uma ponte de integração, ligando a capital Porto Alegre ao sul do estado. Essa estrutura vai ajudar muito na questão da mobilidade urbana, funcionando como uma alternativa à ponte antiga, e é um ganho para o usuário em termos de tempo de viagem e segurança”, afirmou o ministro Tarcísio de Freitas.

Veja também

Um economista progressista debate com os neoliberais

Aqui está uma entrevista com Guilherme Santos Mello. É formado pela PUC-SP, ,cientista social pela …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um dos maiores formadores de líderes empresariais do mundo nasceu no Brasil

error: Content is protected !!