sábado 13 de julho de 2024
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Home / DESTAQUE / Gasolina e gás de cozinha ficam mais caros a partir de hoje nas refinarias; entenda
terça-feira 9 de julho de 2024 às 06:07h

Gasolina e gás de cozinha ficam mais caros a partir de hoje nas refinarias; entenda

DESTAQUE, NOTÍCIAS


A partir desta terça-feira (9) o preço médio da gasolina vendida a distribuidoras pela Petrobras está 7% maior. Assim, o valor do litro do combustível passa a ser, em média, R$ 3,01, aumento de R$ 0,20 por litro, conforme anunciado pela estatal na segunda-feira (8).

Este é o primeiro reajuste no preço da gasolina em 2024. O último aumento foi em 16 de agosto de 2023. E, em 21 de outubro do ano passado, a Petrobras aplicou uma redução de R$ 0,12, ou 4,09%, no preço médio da venda de gasolina tipo A para as distribuidoras, que passou a ser de R$ 2,81.

A Petrobras calcula um impacto médio de R$ 0,15 no preço médio do litro da gasolina nos postos.

“Considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro para composição da gasolina C vendida nos postos, a parcela da Petrobras na composição do preço ao consumidor passará a ser de R$ 2,20 /litro, uma variação de R$ 0,15 a cada litro de gasolina C”, informou a Petrobras.

Segundo a última pesquisa semanal da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), preço médio da gasolina nas bombas do país está em R$ 5,86 o litro.

O repasse de reajustes de preços da Petrobras aos consumidores finais, nos postos, não é imediato e depende de uma série de fatores, como margem da distribuição e revenda, adição de biocombustíveis e impostos.

A companhia não anunciou ajustes no preço do óleo diesel.

Gás de cozinha

Os preços do GLP, o gás de cozinha, para as distribuidoras, também tem reajuste nesta terça. O preço médio do botijão de 13 kg sobe R$ 3,10, passando a custar R$ 34,70.

Este também é o primeiro ajuste nos preços de venda de GLP da estatal para as distribuidoras. O último aumento ocorreu foi em 11 de março de 2022. Em 17 de maio e 1º de julho de 2023 a Petrobras aplicou reduções no preço do combustível.

Desde 31 de dezembro de 2022, a Petrobras reduziu seus preços de venda para as distribuidoras em valor equivalente a R$ 7,34 o botijão de 13kg.

Inflação

Os reajustes anunciados pela Petrobras devem gerar um impacto altista entre 0,18 e 0,21 ponto porcentual nas próximas leituras do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculam economistas consultados pelo Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado).

A estrategista de inflação da Warren Investimentos, Andréa Angelo, elevou sua estimativa para o IPCA ao final do ano de 4,10% para 4,28%. Ela calcula que o reajuste na gasolina representa impacto altista de pelo menos 0,13 ponto porcentual, dos quais 0,09 ponto deverão aparecer já na leitura de julho do IPCA. Já o reajuste do GLP deverá impactar positivamente o índice em 0,05 ponto, segundo ela.

Para Leonardo Costa, economista da ASA, o impacto total dos reajustes deverá ficar em 0,20 ponto porcentual, diluído entre as leituras de julho e agosto do IPCA. Com isso, ele elevou sua projeção para a inflação ao final do ano, de 3,9% para 4,0%.

Na Quantitas, o economista João Fernandes espera impacto total dos reajustes ainda maior, de 0,21 ponto no IPCA deste ano. Desse total, 0,15 ponto deve aparecer diretamente no preço da gasolina; 0,03 ponto no preço do etanol e outros 0,03 ponto devem refletir o reajuste no GLP. Com isso, a Quantitas passou a prever alta de 4,3% no IPCA em 2024, ante estimativa anterior de 4,1%.

No BNP Paribas, a estimativa também é de impacto total de 0,21 ponto porcentual nas próximas leituras do IPCA. A economista para Brasil do banco, Laiz Carvalho, contudo, apenas adicionou viés de alta à sua projeção ao final do ano, mantendo a estimativa de IPCA em 4,0%.

Nos cálculos de Carvalho, do total do impacto, 0,14 ponto porcentual deverá ser sentido na leitura de julho do IPCA, enquanto os outros 0,07 ponto em agosto.

Veja também

BMG Energia propõe criação de hub de energia renovável no sudoeste baiano

A BMG Energia, representada pelo diretor executivo, Cláudio Semprine, pelo diretor de novos negócios, Caio …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!