sexta-feira 17 de setembro de 2021
Foto: Reprodução
Home / DESTAQUE / Deputados se posicionam contra adoção do ‘distritão’ como sistema de votação
quinta-feira 5 de agosto de 2021 às 06:59h

Deputados se posicionam contra adoção do ‘distritão’ como sistema de votação

DESTAQUE, NOTÍCIAS


Os deputados federais votam até a próxima semana, projeto sobre adoção do sistema de votação conhecido como distritão, método criticado por especialistas e partidos políticos por favorecer apenas nomes conhecidos na política. O sistema é apoiado pelos parlamentares do Centrão e tem o apoio do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Deputados contrários a mudança, da esquerda à direita, foram às redes para criticar o projeto e se posicionar contra a aprovação. Entre eles está Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro.

A poucas horas do início da sessão para discutir as propostas de mudanças eleitorais relatadas pela deputada Renata Abreu (Podemos-SP) a hashtag #DistritãoNão já é um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. Eduardo Bolsonaro foi um dos que se posicionou contra a medida, que é apoiada pelo Centrão.

“Sou contra o distritão”, escreveu no Twitter.

— Eduardo Bolsonaro🇧🇷 (@BolsonaroSP) August 4, 2021
Deputados de direita como Paulo Ganime (Novo-RJ), Thiago Mitraud (Novo-MG) e André Janones (Avante-MG) também se posicionaram contra o distritão.

A Câmara quer votar hoje o Distritão. Esse é o pior sistema eleitoral do mundo, tão ruim que só é aplicado em quatro países (Afeganistão, Jordânia e duas ilhas). O sistema só dificulta a renovação política e elege os políticos de sempre. Diga #DistritãoNão

— Paulo Ganime (@pauloganime) August 4, 2021

A deputada federal Tábata Amaral (sem partido) diz que o distritão vai significar, na prática, “menos diversidade na política, partidos políticos mais fracos e campanhas mais caras!”

“O distritão que querem aprovar no Congresso vai significar, na prática, menos diversidade na política, partidos políticos mais fracos e campanhas mais caras! Não vamos permitir que a boiada passe contra a renovação”, escreveu.

O distritão que querem aprovar no Congresso vai significar, na prática, menos diversidade na política, partidos políticos mais fracos e campanhas mais caras! Não vamos permitir que a boiada passe contra a renovação ❌ #DistritãoNão pic.twitter.com/ZIwtBG05Dv

— Tabata Amaral (@tabataamaralsp) August 4, 2021
Parlamentares de partidos de esquerda também se mobilizaram contra a aprovação do distritão. O deputado José Guimarães (PT-CE) diz que o modelo “trata-se de um golpe que arrebenta com o que há de mais moderno e democrático no sistema político do país”.

“O distritão tem interesses escusos, é a semente do semipresidencialismo. Trata-se de um golpe que arrebenta com o que há de mais moderno e democrático no sistema político do país, que é a vontade soberana do eleitor”, tuitou.

O distritão tem interesses escusos, é a semente do semipresidencialismo. Trata-se de um golpe que arrebenta com o que há de mais moderno e democrático no sistema político do país, que é a vontade soberana do eleitor.

— José Guimarães (@guimaraes13PT) August 4, 2021
No sistema atual, o proporcional, para se eleger um deputado, um partido precisa de uma quantidade determinada de votos. Ou seja, todos os votos recebidos pelos candidatos dos partidos contam para a distribuição de cadeiras. No sistema eleitoral majoritário, conhecido como distritão, são eleitos os candidatos mais votados, sem levar em conta os votos dados aos partidos.

Veja também

Comissão da Câmara dos Deputados aprova projeto de lei antiterrorismo

A comissão especial da Câmara criada para analisar a proposta de uma nova lei antiterrorismo …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!