segunda-feira 27 de junho de 2022
Foto: CNN / Reprodução
Home / DESTAQUE / Campanhas de Bolsonaro e Lula serão ‘assombradas’ pela Petrobras
quarta-feira 22 de junho de 2022 às 07:57h

Campanhas de Bolsonaro e Lula serão ‘assombradas’ pela Petrobras

DESTAQUE, NOTÍCIAS, POLÍTICA


Integrante da cúpula de campanha de Lula (PT), o ex-ministro Aloizio Mercadante analisa a mais recente crise provocada na Petrobras, com uma nova rodada de troca de executivos. As medidas, como Robson Bonin da coluna Radar vem publicado nas últimas semanas, não atacam o problema principal que é a escalada dos preços dos combustíveis.

“O que se vê é a velha estratégia de tentar blindar o governo das tragédias social e econômica que assolam o Brasil. Estamos chegando ao fim do governo e eles são responsáveis diretos por nomear o conselho e a diretoria da Petrobras, bem como por manter a política de paridade internacional de preços que começou logo depois do golpe e que eles nunca enfrentaram”, diz o petista.

Com um arsenal de medidas legais construídas ainda durante o governo de Michel Temer para evitar a interferência política nos negócios da estatal, a petroleira tornou-se uma das mais lucrativas do planeta, distribuindo bilhões de reais a seus acionistas, incluindo, claro, o governo, seu controlador.

O drama de Bolsonaro nesse momento é justamente esse. O governo arrecada muito, distribui riquezas a poucos e é incapaz de prover uma política social que garanta o básico a milhões de lares brasileiros, hoje assombrados pela fome. Esse contraste é péssimo para um candidato que tenta convencer o eleitor a votar novamente nele em outubro.

“A Petrobras que descobriu o pré-sal, que estava substituindo importações, que investiu em refino e na construção de fábricas de fertilizantes e que estava se preparando para se tornar uma grande exportadora de derivados foi esquartejada”, diz Mercadante.

“O resultado é essa tragédia que aí está: uma empresa refém dos interesses de grandes importadores de derivados e dos acionistas minoritários. Uma empresa que teve o maior lucro entre todas as petroleiras do mundo enquanto o povo brasileiro sofre com o preço abusivo dos combustíveis”, segue o petista.

O discurso de Mercadante constata o tempo perdido por Bolsonaro nesses três anos de governo, mas falha onde o petismo deveria ter avançado. Reconhecer erros para não mais cometê-los. A Petrobras entrou na agenda do governo porque passou a atrapalhar a reeleição de Bolsonaro.

A estatal, conforme a coluna Radar, também é um problema eleitoral para Lula. Ele acredita que conseguirá ser eleito sem prestar contas aos brasileiros que deixaram o petismo de lado por causa da corrupção. Durante os governos petistas, a petroleira tornou-se motor das campanhas de Lula e Dilma Rousseff ao virar um antro de corrupção, dominada pelos partidos aliados que indicaram diretores para fraudar e superfaturar contratos em troca de milionárias propinas. As empreiteiras que assaltaram a estatal são as mesmas que abasteceram generosamente as campanhas petistas.

Bolsonaro, como lembrou Ciro Gomes outro dia, é um produto criado pela roubalheira e incompetência dos governos petistas. Bolsonaro perde eleitores com a Petrobras agora por causa da escalada de preços dos combustíveis e sua incapacidade de lidar com o problema. Lula pode perder votos adiante, quando o passado petista na estatal vier aos programas eleitorais dos adversários na forma de ataques ao petista, relembrando o que figuras como João Vaccari e tantos outros “companheiros” fizeram por lá.

Veja também

Conselho aprova Caio Paes de Andrade para presidência da Petrobras

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou nesta segunda-feira (27), por sete votos a três …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!