domingo 7 de agosto de 2022
Home / DESTAQUE / ARTIGO: Você se admite torcer pelo Brasil? Por Marcelo da Costa

ARTIGO: Você se admite torcer pelo Brasil? Por Marcelo da Costa

sábado 23 de junho de 2018 às 15:13h

O Brasil possui uma paixão natural pelo Futebol, mas em tempos confusos com um judiciário que faz politica, pôs-golpe de 2016 e com um lamaçal de corrupção que atinge todos os partidos e forças politicas alguns podem se perguntar: é admissível torcer pelo Brasil ? A resposta é Sim.

O verde e amarelo não pertencem a avenida Paulista nem ao MBL financiado por David Koch (biolionário norte-americano que ‘coincidentemente’ é um dos maiores beneficiários de isenções fiscais do governo temerário que ai está)

O verde e amarelo, a seleção Brasileira, e a paixão pelo futebol fazem parte da história, da identidade, do pertencimento de todos os Brasileiros e todas as Brasileiras.

O futebol Brasileiro representa a vitória de uma paixão popular advinda das classes mais baixas da sociedade, sobre um projeto de embranquecimento bancado pelo Estado Brasileiro, a exemplo dos 300 imigrantes trazidos em no século XIX para ‘refinar os gostos desportivos Brasileiros’ bem como em 1850 a tentativa de financiar torneios de ‘polo’ com um grupo de 150 Ingleses trazidos pelo Estado.

A história oficial do Brasil tentou ‘apagar’ esses fatos obscuros divulgando que o futebol Brasileiro somente surgiu a partir de 1895, mas basta uma pesquisa histórica menos parcial para perceber que em 1874 já eram disputados torneios no Rio de Janeiro como o torneio realizado em torno do navio da Crineia bem antes da família Miller (considerada ‘fundadora do futebol Brasileiro especialmente Charles Miller) .

O fato é que a partir de 1920 o Futebol que era domínio da aristocracia se popularizou e foram aceitos negros (acredite que ainda havia discussão sobre isso) em clubes de futebol. O esporte se tornou verdadeiro símbolo de resistência das massas oprimidas pelas jornadas de trabalho extensivas antes da implantação da CLT que não tinham qualquer tipo de lazer fora do campos improvisados em praças públicas.

Torcer e vestir as cores verde e amarelo no ano de 2018 jamais será privilegiar o chamado ‘anestesiamento social’ pregado por um seleto mitiê mais radical, mas é tomar de volta das elites aquilo que pertence a muito tempo as massas.

Deixar de torcer pelo Brasil, deixar de mostrar o amor pelo verde e amarelo, é cair na armadilha nos golpistas e da Rede Globo de dizer que ‘nós’ não somos Brasileiros. Sim, nos que trabalhamos, estudamos, levantamos cedo somos todos e todas Brasileiros e eles (golpistas em sua maioria arrependidos) também o são.

Somente 8% acham que o Brasil melhorou após o golpe de 2016. (Pesquisa Instituto Paraná, Maio de 2018) . Será que o verde e amarelo pertencem a esses 8%? Com certeza não!

Por isso vamos juntos torcer pelo Brasil, torcer pelo nosso Brasil que em 2018 tem tanto a oportunidade de ser Hexacampeão, como a possibilidade de manifestar nas urnas seu descontentamento com aqueles que ludibriaram a nação, e fizeram a nossa gente voltar a cozinha com lenha, deixar a faculdade, e voltar ao mapa da fome. Essa turma que acabou com a farmácia popular, com o luz para todos, e desfila livre de qualquer “contrangimento” do poder judiciário com malas de dinheiro televisionadas. Eles não podem nos desprover de mais nada. Não podem nos tirar o nosso futebol, e não vão faze-lo! A vitória pode ser apertada, pode até ser no acréscimo do segundo tempo, mas vamos vencer porque somos 92% dos Brasileiros.

 

Por Marcelo José S. da Costa

Veja também

Eleitorado do Nordeste cresce 8% em 2022

O Nordeste teve o segundo maior crescimento no número de eleitores entre todas as regiões …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!