segunda-feira 27 de junho de 2022
Foto: Divulgação/STJ
Home / JUSTIÇA / Advogado consegue mudar o nome no STJ por causa de 3 homônimos criminosos
quinta-feira 23 de junho de 2022 às 09:15h

Advogado consegue mudar o nome no STJ por causa de 3 homônimos criminosos

JUSTIÇA, NOTÍCIAS


Lucas Moraes Martins é o nome de um advogado criminal e professor universitário de Belo Horizonte.

Conforme matéria do poral g1, Lucas Moraes Martins também é o nome de um homem que responde a processos criminais no Rio Grande do Sul.

Há ainda um terceiro Lucas. Lucas de Moraes Martins. Ele também responde a processos criminais, desta vez em São Paulo.

E há um quarto Lucas, também “de” Moraes Martins. E ele… também responde a processos criminais em São Paulo.

Para evitar problemas, Lucas, o advogado, entrou na Justiça para ter o direito de mudar seu nome. No caso, ele queria incluir o sobrenome da avó, Maiolino.

“Eu até já tinha vontade de incluir o ‘Maiolino’. Até coloquei este sobrenome no nome da minha filha, Clara Maiolino Lobo Martins. Mas só entrei na Justiça quando descobri os homônimos”, contou Lucas.

O advogado soube do primeiro Lucas Moraes Martins ao pesquisar processos judiciais.

“Um dia eu estava estudando alguns arquivos quando este nome me chamou a atenção. ‘Uai, mas eu não estou preso. Como é isso?’, pensei, né?”, brincou Lucas.

Mais tarde, ele descobriu que outros dois homônimos também respondiam a processos criminais. Para evitar confusão com possíveis clientes que poderiam pesquisar o nome, Lucas, o advogado, decidiu acionar o Tribunal de Justiça de Minas Gerais em 2019. Mas perdeu na 1ª e na 2ª instâncias.

“Aí recorri ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ganhei o direito de colocar o ‘Maiolino’. Acabei ganhando a chance de também poder homenagear minha avó”, disse Lucas, o advogado.

Segundo a decisão do ministro Marco Aurélio Bellizze, “o recorrente é advogado atuante na área criminal e professor universitário de direito processual penal, de modo que a existência de um homônimo que responde a processo criminal, ainda que em outro estado da federação, pode ensejar um constrangimento capaz de configurar o justo motivo para fundamentar a inclusão do patronímico pretendido”.
O advogado será o único Lucas Moraes Martins Maiolino do país. Pelo menos, até agora.

Veja também

Cédula de R$ 20 completa vinte anos: veja o que era possível comprar em 2002

Nesta segunda-feira (27), a nota de R$ 20 completa 20 anos. Lançada em 27 de …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!